segunda-feira, 21 de maio de 2018

CARTA AO LEITOR(A)

Por Luiz Gonzaga Fonseca Mota (*)
Amigas e amigos. Segundo o professor Albert Fishlow, conhecedor profundo da problemática dos países emergentes, "investir na educação é a forma mais eficiente para se conseguir uma melhor e mais justa distribuição de renda". A pessoa com maior nível de escolaridade tem melhor possibilidade de acesso ao mercado de trabalho em constante evolução, característica desta era da globalização. Concordamos com a ideia de que a educação deve ser proporcionada a todos por constituir um direito e uma condição para o pleno desenvolvimento da pessoa humana. Além de ser um direito, a educação também é um dos principais fatores, senão o mais importante, do desenvolvimento dos países. É fundamental que as nações entendam, que a educação não constitui um gasto, mas um investimento de longo prazo que deve expressar o compromisso de gerações e ser elevado a um projeto do Estado Democrático, para além das divergências partidárias das forças políticas que momentaneamente ocupam os papéis de governo e oposição. Com a expansão de novas tecnologias e métodos produtivos são requeridas novas aptidões. Não basta acompanhar as transformações, há que se ter a capacidade de antecipá-las. Daí a necessidade da educação ao longo de toda a vida. Este é um processo irreversível. Através do caminho da educação, encontramos o verdadeiro desenvolvimento humano abrangendo a solidariedade, a liberdade e a igualdade de oportunidades. Como disse Paulo Freire: “A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda”. Sds.
(*) Economista. Professor aposentado da UFC. Ex-governador do Ceará.
Fonte: Diário do Nordeste, Ideias. 18/5/2018.

domingo, 20 de maio de 2018

Se você acha que piada de loira é tudo igual...


Uma linda garota loira estava dirigindo no interior, voltando para a cidade depois de ter visitado os avós. Ela teve que parar justamente no meio do caminho quando alguma coisa não estava certa com o carro. Ela estaciona e tenta ligar de novo, mas nada acontece. Por sorte, bem ao lado havia uma pequena fazenda com uma casa.

Ela vai até lá, toca a campainha e um senhor abre a porta. Ela diz: “Por favor, senhor, são 10 horas da noite de um domingo e o meu carro quebrou! Eu realmente não sei o que fazer. Gostaria de saber se posso passar a noite na sua casa, pois é muito perigoso para uma mulher ficar sozinha no meio da estrada!

Bem”, disse o velho fazendeiro, “você pode ficar, mas trate de ficar longe do Tadeu e do Josué, meus dois filhos!
Ela olha pela porta e vê os dois no fundo da casa, olhando curiosos para ela. Eles provavelmente tinham cerca de 20 anos, bem jovens, fortes e bonitos.
Claro”, disse a jovem. Então ela entrou para passar a noite, mas não parava de pensar nos dois rapazes que estavam no quarto ao lado.
A vontade era tanta que ela sai e bate na porta de mansinho para não fazer muito barulho. Quando eles abrem, ela diz: “Então, meninos, vocês querem que eu mostre para vocês como o mundo é bom?”. Como eram meninos muito simples e jovens, eles não entenderam, aí ela explicou melhor.
Mas tem uma coisa”, diz a jovem. “Eu não posso ficar grávida de jeito nenhum, ok, então vocês precisam usar esses preservativos”.
Ela então ajuda os rapazes a ‘vestir’ os preservativos e se divertem a noite toda.
Trinta anos depois, Tadeu e José estavam na varanda da casa. Josué diz: “Você lembra daquela moça loira que apareceu aqui em casa e mostrou pra gente como o mundo era bom?
Claro que lembro”, diz Tadeu. “Como esquecer aquela noite?
Bom, você acha mesmo que ela ficou grávida?
Não”, diz Tadeu. “Depois de tanto tempo...
E Josué diz: “Então vamos tirar essas coisas de borracha da gente!
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

A loira pensava que as peças do carro foram roubadas!


Uma loira liga para o 190 para relatar o que aconteceu com seu carro. Ela está histérica enquanto tenta explicar a situação ao atendente de plantão.
Eles roubaram o painel, o volante, o pedal do freio e até o acelerador!”, explica ela aos prantos.
O atendente do 190 diz: “Por favor, senhora, mantenha a calma. Um policial já está a caminho. Ele chegará em dez minutos”.
Antes do policial chegar à cena do crime, o telefone do 190 toca uma segunda vez e é a mesma loira na linha novamente.
É... Deixa pra lá”, diz a loira com uma risada sem graça. “Eu sentei no banco de trás por engano.
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.

sábado, 19 de maio de 2018

Posse da nova diretoria da Academia Cearense de Medicina (Biênio 2018-2020)


A Academia Cearense de Medicina (ACM) realizou na noite de 18/05/18, no Auditório da Reitoria da UFC, a solenidade de posse de sua nova diretoria, para o biênio 2018-2020, que terá, na Presidência, o Ac. Djacir Gurgel de Figueirêdo, substituindo o Ac. Manassés Claudino Fonteles, cujo mandato foi exercido com prudência e determinação, buscando cumprir os relevantes propósitos do sodalício, a exemplo do convênio recentemente firmado da ACM com a UFC. Mesmo na mudança de direção, fomos mantidos na Diretoria de Publicações, na gestão ora iniciada.
O evento, dirigido de forma irretocável pelo cerimonialista Ac. Janedson Baima Bezerra, prestou-se à ACM para render homenagem in memoriam ao Sr. Francisco Ivens Dias Branco, que, saudado pelo Ac. João Martins de Souza Torres, recebeu o Título de Membro Benemérito, tendo a fala de agradecimento da família pronunciada por sua filha, a Sra. Graça Dias Branco Escóssia.
O ponto alto da cerimônia foi alcançado com o ritual de posse da nova diretoria quando a audiência foi presenteada com os discursos, de despedida e de posse, do anterior e do novo presidente da ACM, produzindo a aclamação da grande audiência presenciou à sessão solene.
Na oportunidade, o Ac. Sérgio Gomes de Matos fez o discurso de recepção à nova diretoria, traçando o panegírico do novo presidente.
Após a conclusão dos trabalhos, a ACM ofereceu aos acadêmicos e convidados um coquetel de congraçamento nos jardins da Reitoria da UFC.
Ac. Marcelo Gurgel Carlos da Silva
Membro titular da ACM – Cadeira 18

O Que Eu Posso Fazer Por Você, Minha Filha?


Uma noite, uma freira loira estava orando em seu quarto quando Deus apareceu diante dela.
"Minha filha, você me agradou muito. Seu coração está cheio de amor por seus semelhantes e suas ações e orações são sempre para o benefício dos outros. Eu venho até você, não só para agradecer e elogiá-la, mas para lhe conceder o que quiser..."
"Querido Pai Celestial, estou perfeitamente feliz e fazendo o que amo. Não me falta nada. Sinto-me satisfeita de todas as maneiras", respondeu a freira.
"Deve haver algo minha filha, que você precisa de mim", disse Deus.
"Bem, há uma coisa", disse ela. "Apenas me fale o que é minha filha", disse Deus. "São aquelas piadas de loiras. Elas são tão humilhantes para todas as mulheres que conheço, não só para mim. Eu gostaria que essas piadas de loiras desaparecessem do mundo".
"Considere isso feito", disse Deus. "As piadas de loiras vão ser apagadas das mentes de todos os seres humanos na Terra. E algo realmente para você, minha filha? Pois é muito caridosa e mesmo nesse pedido pensou também nas outras pessoas".
"Lembrei de uma coisa, Senhor. Mas é tão pequeno que não vale a pena tomar o seu tempo", disse a freira.
"Minha filha, você merece. Por favor me diga o que é", disse Deus.A freira cria coragem e diz: "Aquele chocolate Confeti, sabe?! Eles são impossíveis de descascar!"
Fonte: Disponível na home page “Tudoporemail”.
 

 

 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Conferência: STORIA DELL’ÓPERA ITALIANA


A Diretoria do Istituto di Cultura Italiana di Fortaleza (ICIF) convida para a Conferência “STORIA DELL’ÓPERA ITALIANA: Vivaldi, Rossini, Verdi, Puccini”, que será proferida pelo Dr. André Bastos Gurgel.
André Gurgel é advogado, com Especialização em Direito Previdenciário e em Direito Trabalhista, e cursa Doutorado em Direito Constitucional na Universidade de Buenos Aires-Argentina. É professor, intérprete e tradutor de algumas línguas modernas e estudioso de idiomas clássicos: latim, sânscrito e grego antigo. É docente efetivo da Faculdade Rodolfo Teófilo.
Local: Auditório do ICIF.
Av. Miguel Dibe, 80, bairro Edson Queirós, Fortaleza. Telefone: 3273-4166.
Data: Dia 19 de maio de 2018 (sábado) Horário: 10h40min.
Traje: Esporte fino.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

ODISSEIA PARTICULAR

Meraldo Zisman (*)
Médico-Psicoterapeuta
Os cães são o nosso elo com o Paraíso. Eles não conhecem a maldade, a inveja ou o descontentamento. Sentar-se com um cão ao pé de uma colina numa linda tarde, é voltar ao Éden onde ficar sem fazer nada não era tédio, era paz." (Milan Kundera, escritor)
Ao voltar de uma viagem resolvi adotar um cão labrador. Fui a um canil para a escolha. Logo de saída, fui por ele escolhido. Batizei-o com o nome de Sócrates.
No primeiro ano que passamos a morar juntos ele traquinava quando eu saia. Roía os móveis, fazia as suas necessidades por toda a casa, rasgava as toalhas, ralhava com ele ameaçando dá-lo para o quartel da polícia militar para sentar praça como cão farejador. O seu nome? Sócrates. O mesmo causava estranheza por toda vizinhança. Quando, com ele passeava, confundiam o nome do filósofo Sócrates com o craque futebolístico de igual apelido. Com o tempo passou a ser conhecido e querido por todos.
Argos, na mitologia grega, é o cão de Ulisses, herói grego, que depois de passar 10 anos na Guerra de Tróia, sobreviveu outros 10 anos tentando regressar ao seu lar. Quando Ulisses lhe surgiu, disfarçado de mendigo, Argos não teve a menor dúvida que estava perante seu dono. Recebeu-o como evidente reconhecimento e, deitando-se aos seus pés, suspirou pela última vez. Ulisses, que nem diante do poder e fúria dos deuses fraquejou, derramou lágrimas a seu amigo. Argos é um símbolo da fiel relação entre o animal e seus donos, fidelidade e dedicação.
O meu sábio, está envelhecendo. Não corre, não brinca, e, quando o chamo, insistentemente, vem até mim mancando e, com grande esforço. O seu pelo, dantes lustroso, está embranquecendo, evidenciando a perda do viço. Sinto, ao contrário do grego Ulisses, que perderei meu grande amigo muito mais cedo do que eu gostaria.  Para se ter um cão, não se precisa ser um Ulisses das Odisseias, mas, ter um legítimo sentimento pelo animal. Talvez essa seja a razão pela qual, nós, seres humanos, nunca conseguimos ficar totalmente longe dos outros animais. Tanto no zoológico quanto domesticados, os outros animais lembram-nos de algo que ficou para trás, mas cuja perda é apavorante.
Creio, mesmo, que teria sido um desterro, algo insuportável, Ulisses não ser reconhecido sequer pelo seu cão. Quem sabe, não seja por outra razão que Freud, doente e aquebrantado, ao final de sua vida, só compreendeu que seu tempo acabara, quando até seu cão, dele se afastou, pelo cheiro nauseabundo exalado do seu maxilar canceroso. Quando o cão lhe virou as costas, a última criatura que ainda lhe fazia suportar a vida, Freud desabou. Depois dessa recusa, ele sentia-se um “ninguém.” Rendeu-se, por fim, à perecibilidade. Morreu.
Os cães, diferente do que pensamos, entendem muito mais sobre a natureza do que nós, eles é que são sábios, embora nós sejamos os civilizados, aculturados, intelectualizados, marginalizados, quero dizer com isso, à margem dessa sua sabedoria. Ah, Sócrates, você é o cantinho afetivo desta minha diminuta odisseia particular! Sinto isto, mas, peço-lhe, não te vás tão brevemente, amigão!
(*) Professor Titular da Pediatria da Universidade de Pernambuco. Psicoterapeuta. Membro da Sobrames/PE, da União Brasileira de Escritores (UBE) e da Academia Brasileira de Escritores Médicos (ABRAMES). Consultante Honorário da Universidade de Oxford (Grã-Bretanha). Foi um dos primeiros neonatologistas brasileiros.
 
 

Free Blog Counter
Poker Blog